Até setembro deste ano, foram apreendidos 53. 575 mil unidades de medicamentos falsificados e contrabandeados e 62,9 toneladas de medicamentos sem registro no Brasil, segundo dados divulgados ontem pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esses resultados são fruto da parceria da agência com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Ministério Público e as polícias civis estaduais, além das secretarias de vigilância sanitária dos estados e municípios. No Paraná, a Secretaria de Estado de Saúde por meio da Divisão de Vigilância Sanitária de Produtos, fiscaliza 41 indústrias farmacêuticas e mais de 5 mil farmácias. “Pelo menos uma vez por ano realizamos visitas de rotina para verificar se todas as orientações estão sendo cumpridas”, explica a chefe da Divisão, Jussara Ferrato dos Santos. Ela é categórica em afirmar que a melhor forma de se proteger na hora de comprar um medicamento é escolher um estabelecimento com a licença em dia e que tenha um profissional da área para prestar orientações. “Comprar medicamentos em academias ou outros lugares diferentes de farmácias regularizadas é se expor a um risco muito grande”, alerta. Quanto a isso, a Anvisa anunciou, ontem, que os brasileiros poderão contar com um selo de segurança em cada caixa de medicamento verdadeiro, a partir de janeiro de 2012. O selo será fornecido pela Casa da Moeda.