As irmãs do prefeito J. Camargo, de Colombo, Maria Amélia Camargo, que é secretária da Fazenda do município, e Rita de Cássia Camargo Gonçalves, secretária da Administração, foram feitas reféns na madrugada de ontem, na saída da 48.º Festa da Uva, no parque municipal. Segundo a polícia, elas voltavam para casa em dois carros, quando foram surpreendidas por assaltantes armados com pistolas.

Uma delas foi obrigada a ir até a prefeitura e abrir o cofre, onde havia o dinheiro arrecadado no evento durante o fim de semana. O montante ainda não foi divulgado.

Átila Alberti
J.Camargo: rotina conhecida.

J. Camargo contou que suas irmãs, cada uma em sua caminhonete, foram interceptadas, por volta das 2h30, no Contorno Norte – a cerca de 3 quilômetros do local da festa – por um Stilo preto ocupado por três encapuzados. Maria Amélia tentou dar marcha a ré, mas não conseguiu.

Ela então foi feita refém por dois marginais e obrigada a ir até a prefeitura. Enquanto isso, o outro marginal permaneceu rodando com Rita e se comunicando via celular com os comparsas.

Na prefeitura, os marginais fizeram o vigia refém e obrigaram Maria Amélia a abrir o cofre. Em seguida, levaram as vítimas ao encontro de Rita. Horas depois, as duas foram liberadas no trevo do Atuba, onde o carro de uma delas foi abandonado. O outro veículo foi localizado no Jardim César Augusto. Segundo J. Camargo, as irmãs não foram agredidas fisicamente e estão se recuperando emocionalmente.

Suspeitos

De acordo com o delegado Erineu Portes, o veículo dos bandidos não foi encontrado e não estava com alerta de furto ou roubo. Ele informou que já tem nomes de suspeitos e outras pessoas podem ter participado no crime.

Tanto o prefeito quanto o delegado acreditam que o assalto foi praticado por quem sabia da rotina das irmãs, principalmente de Maria Amélia que tinha a senha e a chave do cofre.

O delegado vai analisar o que foi captado pelas câmeras de segurança instaladas na prefeitura e imediações. “As imagens serão preservadas para a investigação”, informou.

O valor roubado foi o arrecadado na bilheteria de sexta-feira até domingo. O público estimado foi de pelo menos 70 mil pessoas, com ingressos de $ 5 a R$ 10.

De acordo com a assessoria do prefeito, o recolhimento do dinheiro é realizado várias vezes por seguranças particulares contratados para a festa, com apoio de agentes de monitoramento e da Polícia Militar.