Na noite em que comemoraria o aniversário de 3 anos de sua filha, a catadora de materiais recicláveis Mariceili da Costa Santos, 24 anos, foi morta a tiros em Piraquara, por volta das 19h20 de ontem. O crime foi na rua da casa dela, a Joaquim Camargo, na Planta Santa Catarina.

O marido da catadora, Argil Chagas da Silva, 20, disse que eles trabalhavam juntos, recolhendo materiais recicláveis e haviam acabado de chegar em casa. No caminho, compraram algumas coisas para comemorar o aniversário da filha.

Depois de entrar em casa, segundo Argil, Mariceili disse que iria sair um instante, mas já voltava. Pouco tempo depois, o marido foi avisado por vizinhos que a mulher estava morta na rua, com quatro tiros pelo corpo.

Crack

Argil contou que estava junto com Mariceili há oito anos. Antes de se conhecerem, ela usava crack. “Ela parou uns tempos, mas agora estava usando de novo, só que não na minha frente. Era escondido”, relatou.

Argil disse que, além dos dois filhos que tem com a catadora, a menina de
3 anos e um bebê de cinco meses, Mariceili tinha outros três filhos. Um deles, um garoto, morreu. As outras duas meninas foram recolhidas pelo Conselho Tutelar e encaminhadas à adoção, porque a catadora não tinha condições de criá-las.