O vício do crack levou Cléberson da Silva Santos, 18 anos, a uma clínica de recuperação para dependentes químicos. O tratamento terminou sem que o paciente recebesse alta: às 2h20 de sábado, ele foi assassinado com seis tiros, perto de um depósito de laticínios na Estrada Velha do Barigüi, Vila Sabará, Cidade Industrial de Curitiba. Para a polícia, trata-se de mais um crime relacionado ao tráfico de drogas.

Apesar de jovem, Cleberson era viciado há vários anos, segundo a mãe, Tereza Leite da Silva. "Ele não me obedecia e vivia com má companhia. Mas era um piá bom", diz. O crack, porém, trazia outros problemas além da violenta dependência química – quando menor, o garoto já esteve na polícia por porte de droga e briga.

O tratamento de Cléberson parava nos finais de semana, quando era liberado para voltar para casa. No final da noite de sexta-feira, o rapaz telefonou para a mãe e avisou que iria dormir na casa da namorada, no Conjunto Caiuá, CIC. Foi o último contato que teve com a família.

Perto das 2h30 de sábado, a polícia foi informada do assassinato. Cléberson levou seis tiros, de revólver calibre 38, e caiu no meio da rua. Uma testemunha relatou à Polícia Militar e à Delegacia de Homicídios que viu dois homens fugindo numa Honda Biz preta instantes depois dos disparos. "Não há nada de concreto, mas ao que tudo indica foi dívida de droga", suspeita o cabo Pires, do 13.º Batalhão da PM. A vítima vinha recebendo ameaças de morte – a identificação dos responsáveis por elas será um indicativo da autoria do crime.