Com três tiros, o servente de pedreiro Márcio de Assis Vaz, 34 anos, foi executado na frente de sua casa, na Rua Júlio Luvizoto, Jardim Eugênia Maria, em Campina Grande do Sul, às 19h20 de ontem.

Ninguém quis colaborar com a polícia para dizer o que aconteceu e quem foram os autores. Os curiosos que se aglomeraram no local alegaram que só ouviram os disparos.

A tia da vítima, Clarice Aparecida Alano, disse que o sobrinho se mudou para aquela casa há dois meses, mas ela não soube informar o motivo do assassinato. “Eu não sei nada da vida dele”, resumiu a mulher. Outros familiares de Márcio também estavam no local, mas não falaram sobre a vida de Márcio.