Na sala da humilde casa, situada na Rua Marcos Luís Trevisan, Vila Sabará, Cidade Industrial de Curitiba, dois irmãos foram atacados por um assassino misterioso, na noite de domingo. Angelina Aparecida Gouvêa, 44 anos, foi esfaqueada, e o irmão dela, Ademir Aparecido Gouvêa, 34, baleado. A mulher morreu antes mesmo de ser socorrida pelo Siate e o irmão foi levado em estado grave ao Hospital Evangélico.

De acordo com a mulher de Ademir, que mora na casa ao lado da residência da cunhada, no mesmo terreno, por volta das 20h o marido dela foi à casa da irmã para usar o telefone. Passaram-se alguns minutos e ela ouviu os gritos desesperados do marido. ?Ele pedia ajuda e quando corri, o vi se arrastando no quintal. Ademir sangrava muito, então pedi para meu filho trazer um travesseiro e o segurei até que o médico do Siate chegasse. Meus dois filhos de 2 e 3 anos viram o pai naquele estado e foi uma gritaria. Não sabia se atendia meu marido ou meus filhos?, contou a mulher de Ademir, ainda em estado de choque.

Enquanto ela tentava socorrer o marido, outros vizinhos foram até a casa de Angelina e a encontraram morta, com um corte profundo na garganta.

O gaveteiro de talheres estava revirado, o que indicou que o assassino apanhou a faca da cozinha da vítima. O que intriga a polícia é o fato de Angelina ter sido esfaqueada e de o irmão dela ter sido baleado com três tiros – na mão, na barriga e na cabeça. Ademir foi levado ao hospital, mas durante o trajeto não conseguiu dizer o que tinha acontecido e quem o teria baleado e assassinado sua irmã.

Uma das hipóteses é que Ademir chegou na casa enquanto Angelina era morta e tentou defendê-la. Nenhum vizinho ou parente das vítimas soube dizer quem teria cometido o crime.

No local comentou-se que durante a tarde Angelina discutiu com o ex-namorado pelo telefone. Esta informação será checada pela Delegacia de Homicídios.