A Polícia Federal em Foz do Iguaçu abriu inquérito para apurar um atentado a bomba contra as instalações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em Serranópolis do Iguaçu, na entrada da Estrada do Colono, que corta o Parque Nacional do Iguaçu. Três funcionários foram rendidos na noite de anteontem por cerca de trinta homens, cinco dos quais encapuzados. Algumas bombas caseiras foram jogadas na guarita, dando início a um incêndio.

A polícia suspeita de que o atentado possa ter ligação com o fechamento da Estrada do Colono, que completou um ano na semana passada. Pelo boletim de ocorrência, os cerca de trinta homens dominaram e amarraram os três seguranças em árvores. Eles levaram três revólveres calibre 38 e a munição dos vigias, fugindo em três carros: uma Besta, uma Kombi e um Fiesta.

Antes, contudo, jogaram as bombas que provocaram o incêndio. O estrago não foi maior porque os seguranças conseguiram escapar e controlar o fogo. Ontem, a Polícia Federal enviou agentes para fazer um levantamento do local.

De acordo com a Polícia Civil de Serranópolis do Iguaçu, depois do atentado, foi encontrada uma faixa com a inscrição: “Estrada do Colono. Luta para Sempre”.

Estrada

Com pouco mais de 17 quilômetros, ela liga Serranópolis do Iguaçu a Capanema, passando pelo meio do Parque Nacional do Iguaçu. Sem a estrada, a viagem aumenta em cerca de 190 quilômetros. Desde 1986, quando ela foi fechada pela primeira vez, por determinação da Justiça, há muita discussão sobre o assunto.

No ano passado, o Exército e a Polícia Federal cumpriram a última ordem de reintegração de posse. A estrada foi destruída e várias mudas de árvores plantadas no local.