O exame preliminar realizado pelo médico-legista do Instituto Médico Legal (IML), de Curitiba, constatou que a garotinha S.M.F.S., de um ano e quatro meses, tinha duas dilacerações no ânus. Isso fez aumentarem as suspeita de que a menina foi violentada sexualmente. A informação é da Secretaria de Segurança Pública, que se pronunciou sobre a morte criança, ocorrida na madrugada de ontem, depois de ser levada às pressas ao Hospital Pequeno Príncipe.

Segundo a assessoria da Sesp, a delegada Ana Cláudia Machado, do Núcleo da Criança e do Adolescente (Nucria), não irá se manifestar sobre o assunto até que seja concluído o laudo. A Sesp adiantou que, de alguma forma houve negligência no caso da criança, já que a menor tinha cinco quilos, peso abaixo de sua idade, que deveria ser pelo menos 10 quilos. Além disso, a criança era cega de um olho, devido a desnutrição e foi internada com problemas respiratórios.