A polícia prendeu um suspeito de oito sequestros relâmpagos cometidos em Curitiba. Em um dos casos, no Portão, o bandido rendeu o dono de um Golf quando ele colocava a filha, de 5 anos, na cadeirinha e manteve a criança na mira de uma arma de fogo. Marcos Souza dos Anjos, 33 anos, foi preso em flagrante na saída de um lava-car no Xaxim. Ele estava em uma Duster roubada e com a chave de outros dois veículos com alerta de roubo.

Divulgação/Polícia Civil
Marcos é suspeito de oito crimes.

No domingo, o dono de um Golf viveu momentos de pânico com a filha, após ser rendido pelo bandido, na Avenida República Argentina. Enquanto o homem fazia os saques, o bandidos ficava no carro, mantendo a arma apontada para a cabeça da criança. Depois de efetuar os saques, o assaltante abandonou pai e filha e fugiu com o carro da vítima.

Caminhada

A investigação do 8.º Distrito Policial (Portão), segundo o delegado Renato Figueroa, apontou que Marcos usava uma Duster. Ele estacionava o carro e sondava o local a pé, à procura de pessoas distraídas, saindo ou entrando em veículos. “Era oportunista e aproveitava o momento de desatenção das vítimas para a abordagem e a prática dos assaltos”, afirmou.

O delegado não descarta que o bandido tivesse um comparsa, mas por enquanto não há nenhum suspeito. Como ele levava o carro da vítima, não se sabe se voltava depois para pegar a Duster, ou outra pessoa se encarregava de levar o veículo.

Flagrante

De acordo com Renato, o suspeito foi preso em flagrante segunda-feira (11), após roubar um Prisma, na Rua Bortolo Gusso, Capão Raso. O carro foi encontrado no estacionamento de um supermercado no Portão. De acordo com a polícia, com Marcos, estavam as chaves de um Cruze, roubado na quinta-feira da semana passada, no Novo Mundo, e do Golf levado no sequestro relâmpago. O Cruze foi achado em uma rua no Xaxim e o Golf, no Capão Raso. “Acredito que ele usava os carros roubados por uma semana e, posteriormente, vendia para desmanche”, comentou Renato.

O delegado contou que Marcos confessou apenas o roubo do Prisma e que, quanto ao restante dos crimes, disse que só se manifestará em juízo. Ele foi reconhecido por todas as vítimas que compareceram ao 8.º DP, segundo informado pelo delegado. Marcos já tinha passagem por roubo a banco e de veículos.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook