A técnica de enfermagem Orotilde de Fátima de Lara Vaz, 52 anos, surpreendeu até o delegado do Alto Maracanã, Iacri Meneghel, responsável pelo pedido de prisão preventiva da mulher. Foragida há quase dois meses, ela é suspeita de agredir um garoto, de 16 anos, com paralisia cerebral e apareceu na tarde de ontem, para prestar depoimento na audiência sobre o caso, no Fórum de Colombo.

“Estávamos procurando por ela nos endereços que possuíamos. Não esperava que ela fosse comparecer na audiência”, afirmou o delegado. O mandado de prisão contra Orotilde foi expedido em 16 de maio. Durante o período de buscas, familiares chegaram a relatar à polícia que ela teria pintado o cabelo como forma de disfarce.

Tratamento

No mês passado, a Justiça rejeitou liminar dos advogados de Orotilde solicitando habeas corpus. Eles alegaram que ela teria vivido dias de pânico absoluto, temendo linchamento, devido à exposição do assunto na mídia. No pedido, afirmaram ainda que a técnica em enfermagem já tinha sido encaminhada para tratamento psiquiátrico.

O mandado de prisão foi cumprido por volta das 16h, no Fórum. Durante a audiência os advogados tentaram revogar o pedido de prisão, mas sem sucesso. Na delegacia, Orotilde estava na companhia familiares. Ela assinou cópia do mandado e será encaminhada ao Centro de Triagem I, da Polícia Civil.

“Sem dúvidas é um crime gravíssimo. Foram atitudes injustificáveis por parte de uma profissional de saúde e com as imagens conseguimos com o que juiz acolhesse o nosso pedido”, comentou o delegado. Orotilde responderá por maus-tratos, lesão corporal e tortura.

Imagens

A mãe do adolescente desconfiou de marcas roxas nos braços dele e colocou uma câmera no quarto. A técnica em enfermagem foi flagrada agredindo o garoto, que não sai da cama, de várias formas. Em 11 de abril a mãe denunciou a mulher à polícia.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook