Mesmo sem envolvimento direto com dois crimes, danceterias foram os locais de confusão, que resultaram em dois baleados, na madrugada de ontem. Em um dos casos, a vítima tinha sido expulsa do local e no outro, o mais impressionante, o rapaz acabava de chegar para se divertir quando foi fuzilado.

Rodrigo Rosa de Moraes, 31 anos, foi “metralhado” no pátio de uma casa noturna, na Rua Luiz França, Vila Oficinas, no Cajuru, no início da madrugada. Socorrido pelo Siate e levado ao pronto-socorro do Hospital Cajuru, constatou-se que ele tinha 22 perfurações, por todo o corpo. Até a noite de ontem, ele continuava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Segundo testemunhas, os autores do crime, que não foram identificados, estavam num Corolla prata. O atentado aconteceu logo que Rodrigo chegou à casa noturna, no Idea placa INQ-9592. Ele desceu do veículo e foi surpreendido pelos atiradores. Na tentativa de escapar, o rapaz correu pelo pátio do estabelecimento, mas foi atingido.

Cápsulas

Um dos disparos furou um pneu do Idea, que foi recolhido ao pátio da Delegacia de Homicídios. A polícia recolheu 10 cápsulas de pistola calibre 380 e dois projéteis. A amásia da vítima contou a investigadores que o casal mora em Campo Largo, mas Rodrigo costumava ir ao Cajuru, onde tinha amigos.

Briga no cachorro-quente

Confusão por causa de mulher, numa casa noturna do Bacacheri, terminou com um rapaz baleado, na madrugada de ontem. Anderson Ribas Machado, 34 anos, levou um tiro no ombro, em frente a uma barraca de cachorro-quente, na Rua México, e foi internado no hospital. Ele foi baleado por indivíduos que dançavam com sua ex-mulher, minutos antes em um bar-danceteria da região.

Conforme foi apurado pela polícia, os rapazes que dançavam com a garota teriam provocado Anderson, que foi tirar satisfações. Por volta das 4h, após pequena confusão no interior da casa noturna, Anderson e três amigos foram retirados do local pelos seguranças.

Retorno

Na volta para casa, Anderson colidiu seu veículo e retornou, de táxi, a uma barraca de cachorro-quente, a cerca de três quadras da danceteria, onde estavam seus amigos. Pouco antes das 5h, quando o grupo se preparava para ir embora, os mesmos indivíduos da confusão apareceram, num Palio, e iniciou-se nova discussão.

O motorista, armado com um revólver calibre 38, e o passageiro, que tinha dançado com a mulher, desceram do carro e ofenderam Anderson. Em seguida, um disparo foi efetuado e acertou o ombro do rapaz.

Anderson foi socorrido pelo Siate, enquanto os rivais fugiram no Palio. A polícia já tem informações sobre o veículo e deverá ouvir a vítima e seus amigos para descobrir quem são os criminosos.