Walter Alves
Funcionária pensou que arma era de brinquedo. Não era.

Assalto a uma joalheria, às 9h30 de ontem, aterrorizou quem passava pelo centro de Curitiba. Um transeunte ficou ferido e o ladrão conseguiu escapar. Depois de passar duas vezes em frente à loja, na esquina da Rua XV de Novembro e Alameda Doutor Muricy, um rapaz, de aproximadamente 20 anos, armado com um revólver, entrou no estabelecimento e deu voz de assalto à atendente. Em alguns segundos ele pegou alguns relógios e o dinheiro do caixa, aproximadamente R$ 300,00, e fugiu pela Rua XV.

Os relógios foram recuperados graças à coragem de uma vendedora da loja que se arriscou ao perseguir o bandido. Contratada há menos de dois meses, ela ficou indignada com a ação do assaltante e, acreditando que o revólver que ele lhe apontara era de brinquedo, foi atrás do bandido até a Praça Tiradentes. ?Eu o segurei pela jaqueta e ele derrubou os relógios. Depois continuou correndo. Tinha certeza que a arma era de brinquedo. Se soubesse que não era, não teria me arriscado?, contou a moça.

Tiro

Um policial, do 12.º Batalhão de Polícia Militar, de folga, viu o bandido correndo e tentou segurá-lo, mas, como ele estava armado, foi mais cauteloso. Quando chegou entre as ruas Barão do Cerro Azul e José Bonifácio, o assaltante virou-se e atirou contra o policial, no entanto, acertou a mão de Alex dos Santos Simões, 29 anos, que passava pelo centro. Com o tiro, muitas pessoas ficaram assustadas e o tumulto facilitou a fuga do bandido. Alex foi socorrido pelo Siate e encaminhado ao Hospital Cajuru, onde passa bem. O assaltante trajava jaqueta peruana azul, calça clara e boné.