Dois anos e meio de expirado o prazo para que as agências bancárias de Curitiba coloquem biombos entre o atendimento no caixa e as pessoas que aguardam na fila, a maior parte dos bancos ignora a resolução.

Para tentar reverter esse quadro, o autor da proposta, vereador Paulo Frote (PSDB) e outros parlamentares se reuniram na manhã de ontem com o procurador-geral de Justiça do Paraná, Olympio de Sá Sotto Maior Neto.

Os vereadores querem uma ação civil contra as agências para que a lei comece a funcionar efetivamente. O procurador-geral sugeriu conversar com a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) para chegar a um acordo.