Foto: Átila Alberti/Tribuna
Bandido baleado correu para o mato, onde morreu.

Logo após uma tentativa de assalto contra residência, na Rua Olympio Trombini, no Cascatinha, na tarde de ontem, um dos bandidos morreu com um tiro no peito, outro fugiu baleado e o terceiro escapou ileso. A polícia acredita que eles foram atingidos por algum morador da casa, que reagiu e impediu o roubo. Na casa ninguém dava certeza quanto à autoria do tiro, tornando confusa a história.

A moradora Alice Lopes, 56 anos, contou que um dos bandidos lhe rendeu com uma arma no pescoço, enquanto outro recolhia a família em um quarto. "Logo que fecharam a porta, ouvimos o tiroteio. Não sabemos o que houve", contou Alice, que ora dizia não saber quem atirou, ora achava que foi alguém da casa de seu sobrinho, situada nos fundos. A versão da família, dada aos investigadores da Delegacia de Homicídios (DH), é que um sobrinho de Alice desarmou um dos marginais e trocou tiros com eles. Após o fato, o rapaz fugiu.

Na casa ficaram as marcas do tiroteio.

Alguns tiros marcaram paredes, portas e a Ipanema da família. Na pressa da fuga, os bandidos deixaram os chinelos que usavam e apenas levaram um celular, recuperado no bolso do assaltante morto. Os marginais fugiram pela Rua Lauro Mallin, próxima à residência, onde o que apontou a arma a Alice tombou morto num matagal. O outro, baleado, fugiu pelo mato, abandonando uma camiseta azul suja de sangue e furada à bala. O terceiro escapou ileso. No bairro, ninguém reconheceu o marginal morto, que não carregava documentos.

Assalto

O investigador Sydor disse não acreditar em assalto, visto que em meio a tantas residências de alto padrão os bandidos "escolheram" uma mais humilde. Porém, também não esclareceu quais poderiam ser os outros motivos do atentado. Anonimamente, moradores revelaram que o caso seria uma briga por território de tráfico de drogas, direcionado a dois jovens da residência.