Silmara Moraro – tia da mãe da criança esfaqueada pelo próprio pai na última segunda-feira -entrou em contato com a Tribuna divergindo de alguns fatos publicados. Segundo ela, a vítima não estava em casa acompanhada apenas por outra criança (sobrinho dela) de 12 anos quando foi atacada. Cezar, irmão de Silmara, estava no quintal da casa no momento em que aconteceu a tentativa de homicídio. “Inclusive foi o meu sobrinho que encontrou o bebê ferido no quarto e avisou Cezar que Leandro tinha maltratado a própria filha”, afirmou Silmara.

Após isso o bebê foi encaminhado ao Hospital Evangélico. A criança continua internada. Ela não concordou também com a explicação dada por familiares do detido, de que Leandro começou a sofrer de problemas psicológicos após ter sido deixado pela mãe da criança. “Eles eram apenas namorados e ela engravidou. Por ter na época 14 anos, a minha família não concordou que eles casassem apesar da insistência da família dele. Eles nunca foram casados”, disse. Ainda segundo Silmara, os dois terminaram o relacionamento pelo quinto mês de gravidez da menina. “Somente após a criança nascer é que ela arranjou outro namorado”, disse a tia.

Leandro foi preso na tarde de terça-feira na casa de familiares dele e encaminhado à Delegacia de Homicídios Bastante atordoado ele confessou que esfaqueou a criança por acreditar que a filha não era dele. “Essa história de que havia um outro rapaz, chamado Cauê, foi inventado por ele (Leandro)”, afirmou Silmara.

Familiares de Leandro disseram que ele sofria de problemas psicológicos e que estava em tratamento, tomando remédios. Na DH consta que Leandro já esteve detido por uso de entorpecente. Agora ele vai responder por tentativa de homicídio.