Uma blusa roubada teria sido o motivo da morte da estudante Dayana Cordeiro de Souza, 16 anos.

A informação é do delegado Adonay Armstrong, titular da Delegacia de Homicídios, que interrogou o namorado da jovem, Emerson Antônio da Silva, 25 anos, juntamente com o delegado Carlos Roberto Bacila, que preside o inquérito.

Emerson contou à polícia que no início do mês de junho, Dayana foi assaltada quando retornava do colégio no Conjunto Pirineus. Na ocasião, os marginais levaram sua blusa. Apesar de ser filha do subcomandante do 13.º Batalhão da Polícia Militar foi com o namorado, com quem tinha um relacionamento de dois anos, que a jovem se queixou do assalto. No dia seguinte, os dois foram de carro até o Pirineus para tentar localizar os assaltantes. Como não havia ninguém nas proximidades resolveram dar uma volta pelo bairro e viram, aproximadamente, dez pessoas conversando, sentadas em frente a uma casa. O casal parou o carro e Dayana desceu. Irritada a jovem teria dito que eles ?iriam se dar mal?. Na ocasião, um rapaz de boné, que usava jaqueta de couro, tinha um bigode fino, magro, de estatura mediana, disse que não iria matar Dayana naquele momento porque não estava armado. O casal foi embora e, dias depois, Dayana comentou com o namorado que estava sendo ameaçada.

Gangue

De acordo com o delegado, Emerson só falou isto durante as quatro horas de seu depoimento, escondendo fatos relevantes. Porém, como as investigações já estavam adiantadas, a conclusão da polícia é de que depois que o casal encontrou os supostos assaltantes, que pertenceriam a uma gangue rival, houve um homicídio. Na madrugada do dia 10 de junho, um rapaz chamado Alexandre, que estava com o grupo quando Dayana foi tirar satisfações, foi morto. Treze dias depois, a estudante foi assassinada com cinco tiros. ?O Emerson matou o Alexandre e os amigos do rapaz assassinaram Dayana?, comentou o delegado. Adonay disse que quem atirou na estudante foi um garoto de 15 anos, que estava junto com outros dois rapazes. Todos já estão identificados.

Prisões

Até o momento ninguém teve prisão decretada pela morte de Dayana. Emerson está preso a pedido do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), sob a acusação de envolvimento no latrocínio do guarda municipal Francisco Tavares, crime ocorrido no dia 17 de maio passado. ?O delegado Carlos Roberto Bacila deverá pedir as prisões dos dois co-autores do homicídio da Dayana e de Emerson. Afinal, ele tem responsabilidade neste crime e deverá responder pelo menos por formação de quadrilha?, comentou Adonay.