Uma bem sucedida operação do Corpo de Bombeiros resgatou ontem de manhã o montanhista Mauro Navarro Alves, 27 anos, que se acidentou no Morro da Araponga, entre a Estrada da Graciosa e o Pico Paraná, na Serra do Mar. Mauro caiu em uma fenda de seis metros e sofreu fraturas na mão e na costela, e foi içado, consciente e sem correr risco de morte, pelo helicóptero do CB.

Acompanhado do amigo Glauce Araújo, o montanhista partiu quinta-feira para uma caminhada de quatro dias, que passaria por vários morros da Serra do Mar. Às 17h30 de domingo, pouco depois do acidente, Glauce ligou do telefone celular para o Corpo de Bombeiros fornecendo a localização exata da dupla e pedindo o resgate. O helicóptero do Grupo de Operações do Socorro Tático do 6.º Grupamento sobrevoou a área, mas devido à neblina e à insuficiência de luz natural a operação aérea foi adiada. Simultaneamente, uma equipe de cinco bombeiros e dois integrantes da organização não governamental Cosmo (Corpo de Socorro de Montanha) iniciou a busca por terra. Os dois amigos foram avisados que passariam a noite sozinhos.

No início da manhã de ontem, o helicóptero localizou os montanhistas e efetuou o resgate, através de cordas. A ação por terra, que levaria um dia para chegar até lá, foi imediatamente abortada. A vítima apresentava escoriações no joelho, costas e fraturas na mão e costela. O colega Glauce foi resgatado sem ferimentos.

O pai do ferido, Osvaldo Navarro Alves, 57 anos, disse que o filho tem longa experiência em montanhas. “Depois do acidente, ele ligou para mim e me tranqüilizou, dizendo que só sentia dores”, contou Osvaldo, que salientou a ação eficiente dos bombeiros. O montanhista, que é engenheiro mecânico, foi levado ao Hospital Cajuru, onde passa bem.