Sem aparentar desgaste físico apesar dos problemas de saúde, porém com uma leve tristeza no olhar, o coronel Roberson Bondaruk se despediu nesta segunda-feira (14) do cargo de comandante geral da Polícia Militar do Paraná.

Às 16h de amanhã (15) o novo comandante, Cesar Vinicius Kogut, participa de uma cerimônia para assumir o posto. Ele estava no 2º Comando Regional da PM, em Londrina.

No início do mês passado, Bondaruk passou alguns dias internado depois de passar por complicações neurológicas. Ele garantiu que tomaria a mesma decisão de deixar o comando caso não passasse por esta internação, e explicou que a decisão foi tomada porque, por questões técnicas, não é recomendado que o mesmo comando se perpetue por mais de dois anos. Ele já completava um ano e onze meses à frente da PM/PR.

“Saio satisfeito, tranquilo, com a sensação de dever cumprido”, disse com firmeza o ex comandante, enquanto apresentava à imprensa a estatística de sua gestão marcada pela implantação das 14 Unidades Paraná Seguro pelo Estado – 10 delas em Curitiba.

De novembro de 2011 até este mês, mais de 46 mil pessoas foram presas, quase 6 mil adolescentes foram apreendidos, e mais de 11 mil armas de fogo foram apreendidas.

Para a próxima gestão ele acredita que o principal desafio é o combate ao tráfico de drogas. Antes de sair, Bondaruk já entregou para o governador Beto Richa um projeto de reestruturação da polícia, propondo um aumento de efetivo e prevendo a criação de mais sete batalhões. “Vinte e sete mil policiais já não é mais suficiente para a nossa população”, ressalta.

Ainda não foi definido o novo cargo do ex comandante, mas ele já recebeu algumas propostas e pretende escrever três livros sobre assuntos que vivenciou de forma mais intensa por estar no cargo mais alto da PM/PR.