As polêmicas envolvendo o transporte público de Curitiba parecem que não se restringem apenas ao valor da tarifa, mas dizem respeito também a uma provável disputa pelo comando do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), em que situação e oposição protagonizaram uma discussão, no último sábado (23), que foi parar na delegacia.

Segundo o motorista Clairton Schimanko, um grupo de aproximadamente 50 pessoas, entre motoristas e cobradores, estava reunido em um restaurante localizado na Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, na Cidade Industrial de Curitiba, por volta das 21h30 de sábado, em uma confraternização de final de ano que discutia a formação de uma chapa para concorrer à eleição para a diretoria do Sindimoc, em 2014, quando avistaram um homem que estaria filmando o evento.

Quando o grupo percebeu que estava sendo filmado foi tirar satisfações, mas o homem pulou o muro e a cerca do restaurante, deixando para trás a câmera de vídeo e o celular e, de acordo com Schimanko, o rapaz ainda se machucou ao pular a cerca.

O motorista relatou que minutos depois do ocorrido, o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, o vice, Dino Cesar Morais de Mattos e outros cinco indivíduos chegaram em dois carros na frente do restaurante juntamente com o rapaz que estava filmando a reunião que, segundo Schimanko, é o cunhado de Teixeira, chamado Adenuir Junior.

Schimanko disse que os diretores do Sindimoc exigiam a devolução dos equipamentos, inclusive ameaçando todos os presentes de morte. “Nós nos propusemos a devolver o equipamento, mas na presença da polícia, então quando eles viram a polícia chegando se evadiram do local. Fizemos um BO e fomos orientados a devolver o equipamento no CiacSul. Quando chegamos lá, para nossa surpresa, encontramos toda a corja do Sindimoc na DP, em torno de 10 pessoas, para nos acusar de assalto porque afirmavam que roubamos o equipamento”.

 

Para o motorista, as imagens estavam sendo feitas para identificar os envolvidos e pedir suas demissões nas empresas de ônibus em que trabalham. O vice-presidente do Sindimoc, Dino Cesar Morais de Mattos, negou que a diretoria do sindicato tenha filmado a reunião e disse que Adenuir Junior trabalha como cinegrafista do programa Cidade na TV, apresentado na CNT pelo presidente do Sindimoc.

 

“O Anderson estava mostrando em seu programa na TV o perigo que correm motoristas e cobradores e eu fui levar o Junior, que é cinegrafista do programa, para gravar imagens, pois têm muitos assaltos na região e falta iluminação pública. Eu deixei ele perto do posto de gasolina e não o vi mais. Em seguida eu liguei no seu celular, mas como ele não atendia comecei a procura-lo e quando passei na frente do restaurante vi que ele estava sendo agredido pelo pessoal que estava lá dentro. Imediatamente eu liguei para o Anderson e pedi sua ajuda. Tentamos argumentar para que o grupo devolvesse o equipamento, mas como eles não quiseram devolver, fomos até a polícia registrar um boletim de ocorrência”.

Para o vice-presidente do Sindimoc, a confusão foi motivada por interesses políticos do grupo adversário à atual gestão. “O Clairton era segurança do Denílson Pires, antigo presidente do sindicato, e eles não se conformam que estamos fazendo um bom trabalho e querem de todo jeito atrapalhar a nossa administração, mas a categoria sabe que estamos atuando em defesa deles”, conclui.