Garrafas de pinga vazias, copos quebrados, comida no chão e os corpos de dois homens assassinados. Este foi o cenário encontrado pela polícia às 22h10 de sábado, num sítio no km 107 da PR-092, localidade de Ribeirão Claro, em Doutor Ulysses, a 100 quilômetros de Curitiba. As vítimas eram o dono da propriedade – Nonato Julião de Araújo, conhecido como “Ceará”, 54 anos, morto com uma facada no peito – e o amigo dele – Dair Lins Machado, 40 – que levou um tiro, também no peito.

Daniel Leal, 31 anos, amigo das vítimas, é apontado como suspeito do duplo homicídio. Uma testemunha relatou à polícia local que Daniel passou sábado à noite por uma estrada próxima ao sítio, com o braço ferido. “Ele teria confessado o crime e pediu para chamar a polícia”, relatou o soldado Teilo, da 5.ª Companhia do 17.º Batalhão da PM.

Luta

Os policiais foram à residência do suspeito, a três quilômetros de distância, e não o encontraram. A esposa confirmou que ele passou em casa um pouco antes, com o braço machucado, e saiu em seguida. “Ela disse que o marido havia ido, anterioremnte, ao sítio de Nonato para cortar o cabelo e apanhar compras”, falou o PM.

Nonato estava caído do lado de fora da casa, e Dair, na porta, morto com um tiro de espingarda calibre 36. Utensílios quebrados, móveis fora do lugar e as compras espalhadas pelo chão indicavam que uma luta intensa foi travada na moradia. A polícia encontrou vestígios de que houve bebedeira antes da briga.

A vizinhança informou à polícia que vítimas e o suspeito mantinham amizade e sempre eram vistos juntos. O motivo dos assassinatos será objeto de investigação da polícia civil da cidade.