Briga, supostamente por causa de uma mulher, acabou em morte na madrugada de ontem, na Rodeo Country Bar, na Avenida Munhoz da Rocha, Bacacheri. Era final de expediente, por volta das 4h40, quando o professor de academia Fábio Roberto Teixeira, 33 anos, foi golpeado no peito, provavelmente por um canivete ou soco inglês com lâmina, conforme a polícia. O autor do crime, o empresário coreano Yong Suk Kim, 42, foi detido por frequentadores do estabelecimento, até a chegada da Polícia Militar, que o encaminhou ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac). Como a autoria é conhecida, o caso foi repassado ao 4.º Distrito Policial (Boa Vista).

Segundo testemunhas, a confusão começou por causa de uma mulher e um teria arremessado uma garrafa no outro. “Ainda não temos a versão certa”, disse o delegado Vinícius Augustus de Carvalho, do 4.º DP. As imagens das câmeras de segurança mostram o Kim saindo da casa noturna. Em seguida, ele retorna ao estabelecimento e comete o crime. Como a casa noturna fica a menos de uma quadra do quartel do Corpo de Bombeiros do Cabral, os socorristas chegaram em poucos minutos, mas já encontraram a vítima morta.

Agressões

Uma testemunha contou ao delegado que Kim já estava com a arma na cintura, durante a discussão. “Outra revelou que a vítima e seus amigos estariam agredindo os amigos do coreano”, disse o delegado, que vai ouvir os seguranças e outras testemunhas hoje. O coreano, de acordo com o delegado, recusou-se a responder ao interrogatório, alegando que só falará em juízo. Kim foi autuado em flagrante e encaminhado à carceragem do 12.º DP (Santa Felicidade).

“Ele negou a agressão no momento em que foi preso e somente com o depoimento de três testemunhas fizemos o flagrante”, disse. O delegado informou ainda que a arma do crime não foi encontrada. “Acreditamos que seja um canivete ou um soco inglês”.

Revista

Kim é dono de uma casa noturna. De acordo nota assinada pelo presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo, ele foi revistado na entrada e retirado da casa noturna quando houve o tumulto. Segundo a nota, na rua, o autor pegou um objeto cortante e invadiu o local de forma “tresloucada”. As imagens do sistema de segurança não mostram o momento em que Fábio foi assassinado, porque o crime aconteceu perto do banheiro, onde é proibido ter câmeras.

Procedimentos de segurança

A Rodeo tem 11 anos e é pioneira no segmento country. O presidente da Abrabar afirmou que a casa noturna seguiu todas as normas de segurança recomendadas. Além da revista nos clientes, a associação orienta que apenas o causador da confusão seja retirado do local. “Geralmente, vai para fora o causador do tumulto ou aquele que está mais transtornado, alucinado e difícil de ser contido”, disse Fábio Aguayo.

Lado de fora

Quanto ao cliente ameaçado, é recomendável mantê-lo dentro da casa noturna, para não haver mais transtorno no lado externo e resguardar o sossego dos moradores. Em alguns casos ele é levado para casa ou só liberado com a chegada da polícia. “Infelizmente algumas pessoas que são a absoluta minoria não saem com o espírito de confraternização e divertimento”.