Depois de passar quatro anos e oito meses preso, Joarez França Costa, o "Caboclinho", que ficou conhecido como proprietário de "desmanches" na Região Metropolitana de Curitiba, pode ganhar a liberdade na próxima semana. Julgado e absolvido das acusações de tentativa de homicídio e envolvimento em roubo de carros para desmanches, Joarez ganhou o direito de responder ao crime de porte ilegal de arma em liberdade.

De acordo com o advogado Luiz Fernando Bonatte, Joarez havia sido condenado a dois anos de reclusão por porte ilegal de arma – foi apanhado com ele uma caneta revólver. O defensor entrou com pedido no Tribunal de Alçada para que "Caboclinho" cumprisse a pena em regime aberto, o que foi negado. Bonatte então ingressou com recurso especial no Superior Tribunal de Justiça, que autorizou a progressão de regime para Joarez. Para a decisão ser cumprida de imediato o pedido foi enviado ao Supremo Tribunal Federal, que também determinou a soltura de "Caboclinho" à Vara de Execuções Penais. "Acredito que na próxima semana ele saia da Colônia Penal Agrícola (CPA), onde está recolhido", afirmou o advogado.

Segundo Bonatte, Joarez sofreu três condenações. Em uma delas a pena foi de 8 anos, mas posteriormente o Tribunal de Justiça, atendendo recurso da defesa, o absolveu. Por tentativa de homicídio, ele foi condenado a outros 4 anos de reclusão, e como está preso desde o dia 30 março de 2000, esta pena já foi cumprida, de acordo com o defensor. Restava, então, o cumprimento da pena de 2 anos por porte ilegal de arma, que agora deverá ser cumprida em regime aberto.