Policiais da Delegacia de Homicídios estão a procura de Dirceu Gouveia, 36 anos, acusado de tentar matar sua ex-companheira, a vendedora Irma das Graças Zanelato, 42 anos. A tentativa de homicídio aconteceu na última segunda-feira, quando a vítima foi atingida por diversas facadas e encaminhada pelo Siate ao Hospital do Trabalhador, onde seu estado de saúde inspira cuidados. “Ela corre risco de vida”, informou um investigador da DH.

O delegado Agenor Salgado informou que a prisão temporária de Dirceu será solicitada. “Pelas investigações, descobrimos que ele é um explorador de mulheres e pela sua ação pode ser considerado de alta periculosidade”, disse o policial.

Facadas

Pelas informações da polícia, o acusado e a vítima mantiveram um relacionamento por cerca de seis meses, mas há quinze dias ela o expulsou de casa, após descobrir que estava sendo enganada. Na segunda-feira passada, com o pretexto de que iria buscar alguns objetos dele deixados na casa, Dirceu retornou ao endereço onde o casal vivia na Rua Filósofo Humberto Rohden, Guaporé II, no Sítio Cercado. A conversa entre eles rapidamente se transformou em discussão e a vendedora foi atacada a facadas. Após receber os golpes, Irma simulou estar morta e assim conseguiu sobreviver.

Como não sabia o que fazer com o suposto cadáver, Dirceu puxou o corpo e o enrolou em cobertores. Depois arrastou o guarda-roupa do quarto e colocou o corpo atrás, tentando ocultá-lo. A vítima esperou a saída do homem da casa para com muito sacrifício se desenrolar e chamar a polícia. Antes da chegada da PM e dos socorristas do Siate o autor fugiu.

Exploração

Pelas investigações preliminares realizadas pela Delegacia de Homicídios esta não é a primeira vítima a ser explorada por Dirceu. Segundo o investigador Schulman, o acusado utiliza uma menina de 12 anos- que seria sua filha- para tentar sensibilizar suas vítimas. “Ele pede pouso para mulheres e como não tem dinheiro, usa a menina para sensibilizar”, explicou o investigador. Agindo desta maneira ele adquire a confiança de suas vítimas.

O policial contou ainda que pouco tempo antes de cometer o atentado contra Irma, o homem já havia se apoderado de alguns pequenos eletrodomésticos da vítima e que no dia do crime chegou a pegar 50 reais.

O delegado Salgado pede o auxílio da população para que possa localizar e prender Dirceu. Qualquer informação sobre o paradeiro dele pode ser dada à Delegacia de Homicídios pelo telefone 323-6640. Não há necessidade de a pessoa se identificar.