Grupa age armado e com muita violência.

A Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) divulgou o retrato falado de cinco homens acusados de formar uma nova quadrilha especializada no roubo a residências e que estão agindo de forma violenta, aterrorizando moradores de bairros de classe média. Os últimos casos registrados na especializada datam de 7 e 10 de setembro e a maneira de abordagem dos marginais é a mesma, rendendo as vítimas quando elas chegam em casa.

Em 7 de setembro, o alvo da quadrilha foi uma casa no bairro Hauer. A vítima estava retornando para casa depois de realizar compras em uma panificadora, por volta das 19h. Quando fechava o portão de sua residência foi abordada por um indivíduo armado com pistola com silenciador. Após entrar, o assaltante sinalizou para que outros quatro, também armados com pistolas com silenciadores, invadissem o local. Após revirar a casa, o grupo arrecadou celulares, relógios, pulseiras, aparelhos de CD e DVD e pequena quantia em dinheiro.

De acordo com o relato da vítima, um dos invasores comandava os demais dentro da casa. Em determinado instante, o líder recebeu a comunicação externa, vinda de outro possível integrante, de que o grupo havia invadido a casa errada, pois no alvo anteriormente determinado deveria ter um cofre com dólares e grande quantia em reais.

Portão

Três dias depois, a quadrilha cometeu mais um assalto no bairro Portão. Desta vez, demonstrou estar melhor informada e o golpe transcorreu como planejado. Às 18h, uma empregada foi rendida por cinco homens e uma mulher, todos armados com pistolas ponto 40, quando chegava em sua residência, localizada na mesma rua que o alvo principal.

O grupo rendeu a mulher e, identificando-se como policiais, disse que estava a procura de um dos moradores daquela residência, que seria traficante. Permaneceram por algumas horas na casa da empregada, enquanto a mulher assaltante fazia campana do lado de fora, acompanhando os movimentos na rua.

Dois marginais saíram da casa da empregada e invadiram o terreno da casa principal à espera dos proprietários. Às 21h30, o casal (alvo dos bandidos) chegou em casa e quando parava o carro na garagem, foi rendido. Outros três marginais se juntaram à ação.

Os proprietários da residência foram amordaçados e, além de equipamentos eletrônicos, os bandidos arrecadaram mais de R$ 50 mil em dinheiro. Não há informações precisas sobre os veículos que utilizaram para a fuga.

Investigação

O delegado da DFR, Rubens Recalcatti, informou que possui informações sobre a quadrilha e que está tentando identificá-la. Os integrantes são de fora e apresentam sotaques variados. Dois deles seriam cariocas. Todos têm idade entre 20 e 25 anos e um dos indivíduos possui uma grande cicatriz no pescoço e está com um dos braços na tipóia.

Quem reconhecer os indivíduos ou possuir informações que possam auxiliar a polícia, pode entrar em contato com a DFR pelo telefone 262-1800.

Outro bando está agindo no Jardim Botânico

A quadrilha cujos retratos falados foram divulgados pela Delegacia de Furtos e Roubos, na semana passada, não é a única que está agindo na cidade. A DFR está investigando outro grupo que participou do assalto a uma residência no Jardim Botânico, na última quinta-feira, dia 16. Por volta das 20h, o dono da casa foi rendido no portão, por um indivíduo armado com revólver, que deu voz de assalto. Em seguida, outros três homens entraram na residência, rendendo os demais familiares. Todas as vítimas foram obrigadas a ficar de joelhos, voltadas para a parede, enquanto os marginais realizavam a ação. Da casa foram levados quatro computadores, DVDs, videocassete, jóias e R$ 500,00 em dinheiro. Os assaltantes foram descritos como magros, idade entre 18 e 22 anos e 1,80m de altura. Fugiram levando o Ford Ka da família, que posteriormente foi abandonado e localizado pela polícia. Havia outro integrante do grupo dando cobertura. A DFR já possui alguns suspeitos deste crime, conforme afirmou o delegado Rubens Recalcatti.