Divulgação/Sesp
Polícia espera que ladrões sejam reconhecidos por novas vítimas.

Uma quadrilha responsável pelo roubo de maquinários e produtos agrícolas em áreas rurais do interior do Paraná foi desmantelada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) em parceria com a delegacia de Arapoti. Os irmãos Geovani Bernardo Manoel e Silvani Bernardo Manoel, além de Leonardo Tertulhano Gonçalves e Everaldo Guerra dos Santos, foram presos dentro de suas casas enquanto dormiam. De acordo com a polícia, a quadrilha agia principalmente na região de Arapoti, Nordeste do Paraná, e além dos roubos a propriedades rurais, a quadrilha também é responsável por assaltos a postos de combustíveis.

De acordo com o delegado titular de Arapoti, Mariano Petrukon, a quadrilha estava sendo investigada há quase um ano. "Começamos a investigar e monitorar os passos desta quadrilha a partir dos roubos que eram realizados aqui em nossa região e agora, com a ajuda dos policiais do Cope, conseguimos colocar estes marginais atrás das grades", disse o delegado.

Petrukon contou que a quadrilha roubava insumos agrícolas, como agrotóxicos e principalmente tratores de fazendas da região de Arapoti. Além disso, os assaltantes também levavam parte da colheita das propriedades e revendiam os produtos no "mercado negro". "Era uma quadrilha muito bem organizada, que preocupava a polícia e os agricultores da região", contou o delegado. A polícia agora está apurando qual o montante conseguido pelo grupo com os roubos. "Nós também estamos divulgando as prisões para que possíveis vítimas possam identificar os ladrões e nos ajudar nas investigações", disse.

Um último integrante da quadrilha está foragido e é procurado pela polícia. Todos os detidos permanecem presos na delegacia de Arapoti e responderão por roubo, furto e formação de quadrilha.

De acordo com o delegado do Cope, Marco Antônio Góes, que comandou as prisões, a quadrilha foi totalmente desmantelada graças ao trabalho conjunto realizado pela polícia. "Além de nossa unidade, contamos ainda com o apoio de policiais das cidades de Castro, Wenceslau Braz, e de Arapoti", informou. O apoio de policiais do Cope foi solicitado porque a unidade é responsável pelas investigações de crimes de contrabando e roubo de agrotóxicos, assim como assaltos a cooperativas agrícolas do Estado.

A centralização das investigações passou a ser feita pelo Cope depois de uma determinação do secretário de Estado da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, em fevereiro deste ano. "É uma estrutura criminosa organizada que está sendo combatida pela elite da Polícia Civil do Paraná. Estamos lutando contra esses tipos de crimes com ações específicas e usando da área de inteligência da polícia", disse Delazari.