Uma fábrica de máquinas de caça-níqueis, que funcionava em um barracão, na Rua Bom Jesus do Iguapê, 498, no Boqueirão, foi "estourada" ao meio-dia de ontem por policiais do 7.º Distrito (Vila Hauer). No local foram apreendidas 15 máquinas embaladas e prontas para serem transportadas, além de diversos componentes para a montagem. Entre eles, o que mais chamou a atenção foi um "noteiro", que verifica se as notas dos jogadores não são falsificadas.

O delegado Hamilton Cordeiro da Paz, titular do distrito, informou que policiais da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas, receberam uma informação de que no local estava armazenada uma carga ilícita. Eles foram até o endereço fornecido pelo denunciante, mas quando observaram a movimentação descobriram que a carga era de máquinas de caça-níqueis. Imediatamente, eles comunicaram o 7.º Distrito, que entrou na fábrica.

O gerente da empresa, devidamente registrada como Grub Game Brazil, com sede no Rio de Janeiro, e três funcionários foram detidos e notificados em termo circunstanciado. O proprietário da fábrica ainda não foi identificado. "Temos um nome, mas ainda estamos apurando", informou o delegado. Hamilton disse que na empresa foram encontrados diversos documentos. Entre eles recibos de pagamentos e notificações da Prefeitura Municipal de Curitiba, para que os proprietários regularizassem a situação. "Eles registram a empresa como se fosse uma fábrica para consertar máquinas de diversões eletrônicas, como fliperamas, e acabam atuando com máquinas de caça-níqueis, o que é proibido", ressaltou o delegado. Também foi apreendida uma nota fiscal, discriminando a venda de cada máquina pelo valor de R$ 1 mil. "Apuramos que cada máquina de caça-níquel é vendida de R$ 2 mil a R$ 2,5 mil", frisou.

O delegado disse que logo após a apreensão, um advogado compareceu no distrito, provavelmente a pedido do proprietário. "Ele disse que tinha uma liminar, mas na realidade todos as liminares que haviam para funcionamento de jogo de azar foram cassadas. É proibido e vamos combater", avisou Hamilton. Ele descobriu que a fábrica já estava funcionando há três anos. Hamilton disse que as investigações continuam no sentido de apurar o destino das máquinas.