Foto: Alberto Melnechuky/Tribuna

Jonathan, 16 anos, Alan, 15, e Jocemar, 21, não tiveram como se defender. Só puderam esperar o tiro.

Em cerca de nove horas, de quarta para quinta-feira, dez pessoas foram mortas em Curitiba e região metropolitana; e uma menina e um garoto foram atingidos por balas perdidas. Para comparar, no feriadão do Ano-Novo foram 16 homicídios, em quatro dias.

Os crimes que chocam pela quantidade e crueldade foram cometidos na periferia da cidade, mas também na Vila Guaíra. Dois jovens foram mortos em confronto com policiais militares; um dentro de uma casa, suspeita de ser mocó de usuários de drogas; outro foi chamado pelo assassino, no muro de sua casa; e mais um foi morto em frente a um bar. Porém, o mais assustador, foram cinco jovens, que, pelo que tudo indica, foram executados por vítimas de roubo e furto. É a ?justiça? feita sem Justiça, no vácuo deixado por aqueles que devem zelar pela segurança e punir crimes dentro da lei.

O caso mais chocante foi o de dois adolescentes e um jovem executados no Uberaba, provavelmente em vingança pelo roubo de uma moto, por um deles. Jonathan Camilo, 16 anos, Alan Pires dos Santos, 15, e Jocemar Pontes de Souza, 21, o ?Caubói?, foram obrigados a ?aguardar? a morte no meio da rua e, cada um foi morto com um tiro na cabeça. O local escolhido pelos executores foi a esquina das ruas Waldemar Pereira da Silva e Rita Ana de Cristo, na Vila Lorena.

De acordo com informações da Delegacia de Homicídios (DH), o trio, acompanhado de outros dois rapazes identificados apenas como ?Mazinho? e Denis, saíam da casa da namorada de Jocemar. Quando chegaram na esquina, notaram dois rapazes armados se aproximando. Denis e ?Mazinho? correram, tão logo viram os atiradores, e conseguiram escapar da morte. Os dois adolescentes foram obrigados a deitar de bruços, com as mãos atrás da cabeça, e Jocemar, a ficar de joelhos. Nessas posições o trio foi executado. No local a polícia recolheu dois cartuchos calibre 32.

Motivo

Os investigadores apuraram que Jocemar foi morador da invasão Icaraí, também no Uberaba, de onde teria roubado a motocicleta de uma pessoa. Por conta do roubo, ele era ameaçado de morte e chegou a sofrer uma tentativa de homicídio em 14 de novembro, mas saiu ileso. A polícia acredita que a mesma pessoa que foi roubada por Jocemar deve ter cometido o atentado em novembro e a tripla execução, na madrugada de ontem.

Segundo apurado pela DH, Jonathan, morador no Uberaba, já esteve, por alguns dias, detido na Delegacia do Adolescente, por porte ilegal de arma. Alan e Jocemar moravam no Boqueirão.