Oscar, do caldo de cana.

Quando se deslocava para Morretes pela BR-277, José Oscar Cararo, 42 anos, mais conhecido por “Oscar do Caldo de Cana”, foi preso por investigadores da delegacia de Pinhais. Ele estava com prisão preventiva decretada por ser o autor do disparo que matou o garoto Vitor Alexandre Oliveira Evangelista, 9 anos, em 11 de setembro deste ano.

De acordo com o delegado Gerson Machado, o detido estava escondido em Morretes desde que prestou depoimento, na semana passada. “Ficamos sabendo que ele vinha para Pinhais, passar o final de semana. Montamos campana e o prendemos na manhã de hoje (ontem), na estrada”, contou. O policial informou ainda que José é reincidente, pois já havia assassinado um outro homem – Odair Gonçalves Pinto -em 3 de agosto de 1989 e está aguardando julgamento. Naquela ocasião, José matou Odair com golpes de garrafa na cabeça, depois de uma bebedeira.

Tiros

Sobre a morte do garoto, o delegado ouviu, na semana passada, uma testemunha ocular do crime que esclareceu todo o ocorrido e desmentiu a versão apresentada por José. O PM Amauri, que inclusive tentou socorrer a criança ferida, contou que José, ao encontrar seu desafeto – Marcos Sobrinho da Cruz – passou a perseguí-lo disparando tiros. Os depoimentos indicam que José atirou por seis vezes contra Marcos. Depois, recarregou a arma e saiu correndo atrás de seu rival, desferindo outros seis tiros. Um dos disparos acertou a cabeça do menino, que foi levado em estado grave para o Hospital Cajuru e faleceu. José e Marcos já tinham uma rixa antiga.

“Agindo de maneira irresponsável, atirando por doze vezes em uma zona urbana, ele sabia que poderia matar uma ou mais pessoas”, disse o delegado, explicando que além do homicídio doloso, José responderá também por tentativa de homicídio.