Gilmar (esq.) negou envolvimento com o crime.
Gesie reagiu e morreu com três tiros.

Seqüestro-relâmpago em São José dos Pinhais terminou em tiroteio e na morte de um dos assaltantes, identificado como Gesie Carvalho, 26 anos, no início da noite de quarta-feira. Outro acusado de ter participado do crime é Gilmar Kienen, 22, que foi detido por milicianos da Companhia de Choque e negou qualquer envolvimento com o ocorrido.

A funcionária de uma transportadora daquela cidade levou um empregado ao hospital, na Rua Visconde do Rio Branco, centro, às 18h30. Acompanhava o atendimento médico, quando lembrou que deixara o seu celular dentro do carro, estacionado na rua. Quando colocou a chave na porta, foi abordada por dois indivíduos que mandaram-na entrar no carro e, por 25 minutos, a mantiveram como refém. A vítima só foi liberada no bairro Barro Preto. “Fiquei com medo que eles atirassem em mim assim que desci, mas eles ainda me deram dois reais para pegar o ônibus”, relatou, dizendo que foi ameaçada durante o tempo em que ficou em poder dos bandidos. “Pedia para que levassem o que quisessem, mas que não fizessem nada comigo”, contou. Como resposta ganhava um: “Cala a boca que eu te estouro ou jogo fora do carro”.

Tiroteio

Assim que foi liberada, a mulher ligou para a polícia e minutos depois soube que seu veículo fora recuperado. Policiais militares da Companhia de Choque foram atrás do veículo roubado e o localizaram estacionado em frente a um bar, no bairro Afonso Pena. Lá, detiveram Gilmar, que estava armado com um revólver, calibre 32. “Ele se entregou sem opor qualquer resistência”, disse o tenente. “Não sei de roubo nenhum, só estava no bar”, contestou o detido.

Já Gesie, de acordo com a PM, tentou fugir dos policiais entre as casas do bairro. “Demos voz de prisão, mas ele reagiu, atirando contra a equipe”, afirmou o tenente. Houve troca de tiros e Gesie foi atingido por três projéteis. Ele foi encaminhado pelos policiais ao Hospital Cajuru, mas não resistiu aos ferimentos. Com o rapaz, foi encontrado um revólver, calibre 38, com dois tiros deflagrados.

O detido foi encaminhado à delegacia da cidade e conforme informado pelo tenente Sérgio, ele e Gesie eram conhecidos no bairro Quississana, por seus delitos.