Um novo golpe aplicado por cobradores de ônibus está resultando em ?dor de cabeça? para os responsáveis pela fiscalização do sistema de transporte coletivo da capital. Na noite de terça-feira, três cobradores foram flagrados negociando passagens de ônibus com cartões de transporte de outros usuários. Um deles estava em horário de trabalho e os outros dois foram até a estação tubo apenas para fazer a ?negociata?.

O esquema foi descoberto quando fiscais da Urbs receberam a denúncia de que três cobradores, que estavam na estação-tubo Cefet, na Avenida Marechal Floriano Peixoto, recebiam dinheiro das pessoas e liberavam as entradas com cartões de isentos e de outros usuários. Um fiscal, sem usar identificação, foi até o local e flagrou os funcionários. Ele chamou a Guarda Municipal e Paulo Sérgio Dias, Osvaldo Nagata Júnior e Alexandre de Oliveira foram levados ao 3.º Distrito Policial (Mercês).

Com os cobradores foram apreendidos 11 cartões – sete deles de usuários comuns e quatro de isentos. O golpe acontecia quando as pessoas chegavam para pagar a passagem com dinheiro e o trio embolsava o valor, liberando a entrada com os cartões.

Segundo Edson Luiz Berleze, gerente de fiscalização do transporte coletivo da Urbs, é provável que os cobradores tenham comprado, por um valor menor, os cartões de pessoas que são isentas ou que não utilizam o transporte coletivo. ?Geralmente quem os vende são pessoas que recebem os créditos das empresas onde trabalham e não os utilizam porque têm carro ou carona. No caso de isento, às vezes os próprios aposentados por invalidez ou deficientes físicos compartilham o cartão com o cobrador, para ganhar algum dinheiro?, explicou Edson.

A Urbs já identificou os usuários que comercializaram seus créditos e afirmou que estas pessoas deverão ser intimadas para ir até a delegacia, prestar esclarecimentos. No caso de usuários isentos que participaram do golpe, o cartão será bloqueado por um prazo mínimo de um mês. No caso de reincidência o bloqueio será de dois meses e assim sucessivamente. Dos usuários comuns serão retidos todos os créditos. Apenas com uma nova recarga ele poderá ser reativado. A Urbs pede que qualquer usuário do sistema coletivo que perceba a irregularidade ligue para o número 156 e denuncie.

Os cobradores irão responder administrativamente e deverão ser denunciados pelos crimes de estelionato e apropriação indébita.