Reprodução/CNT

Assassino quis se vingar do filho das vítimas.

O fiscal de loja Mauro Sérgio dos Santos e a mulher dele, Rosângela Padilha dos Santos, pagaram pelos erros do filho. Por volta de 6h20 de ontem, um homem armado de revólver invadiu a casa onde eles moravam, na Rua Pixinguinha, Jardim Maria Antonieta, em Pinhais e, sem compaixão, executou-os ajoelhados no quarto do filho. Os tiros foram disparados na nuca e os dois morreram na hora.

A filha e o genro do casal, que moram em uma casa ao lado, ouviram quando o homem entrou na moradia e perguntou por Robson. Mauro e a esposa disseram que ele não estava.

O assassino fez questão de entrar no quarto do rapaz para conferir e encontrou a cama vazia. Como uma forma de recado para Robson, ele mandou que os dois se ajoelhassem e atirou na cabeça de cada um, matando-os na hora.

Testemunhas disseram que viram o homem saindo da casa, arrumando a arma na cintura e, na esquina, subiu na garupa de uma moto Titan e fugiu em alta velocidade.

Drogas

Alguns vizinhos disseram que o rapaz é usuário de drogas e relacionaram a morte a algum tipo de vingaça de traficantes. Mas quem pagou a ?dívida? foram os pais, trabalhadores que nunca tiveram passagem pela polícia.

Segundo o investigador Baroto, da delegacia de Pinhais, o irmão de Mauro retirou a guia de necropsia e ficou responsável pela liberação dos corpos no Instituto Médico-Legal.

?Já solicitamos que os familiares compareçam na delegacia para prestarem mais esclarecimentos sobre o casal. O filho também deverá ser ouvido e talvez possa dar pistas que levem à identificação e paradeiro do assassino?, contou o investigador.