Policiais do 11.º Distrito Policial (CIC) prenderam, anteontem, o casal Sidinéia Miranda, 24 anos, e Daniel Holm, 36. Eles foram flagrados dentro de uma oficina, na Rua Danilo Rolim Varga, Cidade Industrial de Curitiba, onde havia diversos equipamentos de TV a cabo e de internet banda larga, parte deles furtados. O dono da oficina, Adilson Schichl, não foi localizado e é procurado para explicar o que o material fazia dentro de seu estabelecimento. Esta é a segunda prisão, em pouco mais de uma semana, de pessoas envolvidas com fraudes em equipamentos e sinal de televisão por assinatura.

As prisões de anteontem foram possíveis graças a denúncias anônimas, dando conta que, na oficina clandestina, os vigaristas modificavam aparelhos de TV a cabo, para receber, sem restrições, a programação de todas as emissoras. Ao conferir a informação, os policiais encontraram, no local, dezenas de caixas e sacolas, abarrotadas com decodificadores de TV a cabo, modems e outros equipamentos de informática, cerca de 100 controles remotos e ferramentas.

Técnicos da NET acompanharam a ação da polícia e reconheceram os equipamentos, de uso exclusivo da empresa. A polícia investiga, agora, indícios de que, dentro da própria NET, esteja ocorrendo desvio de materiais. Sidinéia foi levada à carceragem feminina do 9.º DP (Santa Quitéria). Daniel permaneceu no 11.º DP.

Condomínio

Investigações, também do 11.º DP, levaram Odinei Amancio Fidêncio, 37, Michele Coelho de Souza, 28, proprietários da empresa Fao Systen, e o técnico em eletrônica Carlos Eduardo Wutzkiewicz, 47, à cadeia, no último dia 22. Intitulando-se empresa terceirizada da TVA, eles são suspeitos de fraudar e distribuir o sinal da operadora a cerca de 80 moradores de um condomínio na CIC. Num apartamento, a polícia encontrou uma central clandestina de repetição de sinal.