Allan Costa Pinto/Arquivo
Marcos foi encontrado seminu e enforcado.

Uma semana depois de encontrar Marcos Fernandes, 49 anos, morto na Rua Centenário, São Miguel, em Araucária, a polícia descarta a hipótese de latrocínio e começa investigar crime passional. O corpo foi encontrado na sexta-feira, dia 8, no acostamento de uma rua de acesso da Represa do Passaúna. Ele estava com uma blusa de lã enrolada no pescoço e só de cueca. O carro da vítima foi localizado na noite anterior ao crime, queimado, em uma estrada rural na localidade de Campestrinho, em Mandirituba, cerca de 45 quilômetros de Curitiba.

Segundo o delegado titular da delegacia de Araucária, Agenor Salgado Filho, as primeiras investigações apontavam que Marcos tinha sido vítima de latrocínio (roubo com morte), no entanto, com o encontro do carro queimado e o depoimento de familiares, a hipótese foi descartada. ?Algumas pessoas que ouvimos disseram que Marcos tinha um caso amoroso com o seu enteado, um rapaz de 25 anos?, disse o delegado.

Conforme relatado pelo delegado, testemunhas contaram que padrasto e enteado tinham uma relação afetiva exagerada, que misturava intimidade e ciúmes. ?Ainda estamos investigando, as pessoas estavam com medo de falar explicitamente. Na próxima semana vamos intimar todos novamente?, comentou o delegado.

Crime

No inquérito policial, testemunhas afirmam que, na quinta-feira de Corpus Christi, Marcos e o enteado passaram o dia juntos, em um parque de Curitiba, onde se desentenderam. Marcos deixou o rapaz no parque, para que voltasse para casa a pé. À noite, eles se encontraram na residência e começaram discutir e se ameaçar mutuamente. Em seguida, Marcos saiu de casa e não voltou. Só foi encontrado no outro dia, morto em Araucária.

O enteado foi ouvido na delegacia e negou todas as denúncias. No entanto, assim como as outras testemunhas, ele será ouvido novamente.