A 4.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) de Minas Gerais iniciou ontem o julgamento do habeas corpus impetrado em favor do ex-goleiro Bruno Fernandes, pelo defensor Cláudio Dalledone Júnior.

Após sustentação do advogado, que tentou demonstrar que não há necessidade de o acusado permanecer preso, o desembargador Doorgal Andrada, relator do caso, entendeu que o processo merecia novo exame, considerando as razões da defesa.

O próprio relator, que seria o primeiro a votar, pediu vista dos autos e o julgamento foi suspenso, devendo ser retomado na próxima sessão daquela Câmara Criminal, na quarta-feira da semana que vem.

Dalledone Júnior, ao deixar o TJ de Minas Gerais, mostrou-se satisfeito com a atenção dos desembargadores, e vislumbrou uma chance de Bruno ser colocado em liberdade. O ex-goleiro é acusado de sequestro e suposto assassinato da ex-amante Elisa Samúdio, cujo corpo nunca foi encontrado.