O governo do Paraná garante que vai resolver o problema de centenas de pré-aprovados em concurso da Polícia Militar, que esperam há mais de dois anos pelo ingresso na corporação e agora estão ameaçados de perder a vaga, por ultrapassar a idade limite de 30 anos. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), os candidatos que cumpriam o requisito no momento da inscrição serão chamados.

O problema é fruto da burocracia e de um equívoco na redação do edital do concurso (número 061/2009). Em vez de estabelecer uma idade limite para a inscrição, o edital determina que o candidato tenha até 30 anos no ato do ingresso na PM. Como o concurso foi duas vezes prorrogado, muitos estão ultrapassando a idade máxima e correm o risco de ser barrados na hora da posse.

O tenente-coronel Cezar Alberto Souza, subcomandante da PM, informou que será elaborada uma retificação no texto do edital. Entre hoje e amanhã, deve ser divulgada a lista dos aprovados nos exames clínicos (terceira etapa do concurso). Mesmo com a promessa da Sesp, os candidatos aguardam desconfiados. “É uma notícia otimista, mas até onde sabemos, vamos ser excluídos. Não acredito que vão nos chamar naturalmente, como se nada tivesse acontecido. Vamos seguir mobilizados para garantir nosso direito”, disse Márcio Marçal Machado, que completou 31 anos após ser aprovado na primeira fase do concurso. Segundo ele, existem cerca de 300 pessoas na mesma situação, que estão organizando uma passeata de protesto para a semana que vem.

Os candidatos estão atualmente na quarta fase de seleção (pesquisa psicossocial). A posse dos aprovados está prevista para 17 de maio. São 2 mil vagas para soldado policial militar e 400 vagas para soldado bombeiro.