Foto: João de Noronha/Tribuna

João era procurado pela Justiça.

Acusado de chefiar uma quadrilha de roubos de cargas, que agia no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso, o empresário João Maria Guimarães Santos, 63 anos, foi preso por policiais da delegacia de São José dos Pinhais, na última terça-feira. Ele estava com mandado de prisão decretado pela Justiça de Campina Grande do Sul, pelo roubo de um caminhão de bobina, e pelo Juízo de Curitiba, a pedido da Delegacia de Estelionato e Roubo de Cargas.

O delegado Paulo Silveira, titular da DP, informou que o empresário era investigado desde dezembro do ano passado, quando era suspeito de ter armado o roubo de dois caminhões carregados com gasolina especial, usada em aeronaves.

Segundo o delegado, as investigações apuraram que o grupo liderado por João seria responsável por diversos roubos de caminhões e de cargas e pelo desaparecimento de dois motoristas de caminhão. ?Os caminhões eram adulterados e levados para o Mato Grosso. Já as cargas eram transportadas para Bandeirantes, no Norte Pioneiro, pelo braço direito de João, Ataíde dos Santos, 44 anos, que está preso no Mato Grosso do Sul?, comentou o delegado.

Altair disse que os trabalhos continuam para identificar os integrantes do grupo. ?A quadrilha também está sendo investigada pela polícia catarinense?, comentou.

Desaparecidos há quase um ano

Dois motoristas, que teriam sido vítimas da quadrilha, estão desaparecidos desde o ano passado, e a polícia suspeita que eles estão mortos. Marcílio Monteiro Alencar, 45 anos, foi vítima do grupo no dia 10 de novembro. Ele dirigia o caminhão Fiat Inveco placa HRO-5026. O motorista tinha acabado de carregar 50 mil litros de gasolina especial, avaliada em R$ 180 mil, na Refinaria de Araucária e ia para Cuiabá. Segundo as investigações, Marcílio foi abordado pelos marginais por volta das 20h48, quando o rastreador perdeu o contato com o veículo.

Da mesma forma desapareceu José Antônio Martins, 38 anos. Coincidentemente, o destino e a carga eram os mesmos de seu colega. O último registro do rastreador ocorreu na BR-116. Até ontem, não haviam pistas de nenhum dos motoristas.