Anderson Tozato
Maurício, 18 anos, não
teve tempo de reagir.

A bolsa que Maurício Alves de Oliveira, 18 anos, levara para o trabalho ficou ao lado do seu corpo, encontrado encostado em um muro da Rua João Pereira de Godoy, Jardim Guarituba, em Piraquara. O rapaz foi assassinado com cinco tiros, quando andava com a namorada pela rua ainda iluminada pelo crepúsculo, às 19h de quinta-feira. A polícia já tem o nome de quatro suspeitos e espera prendê-los nos próximos dias.

Não houve discussão entre a vítima e seus assassinos, na hora dos disparos. Porém, uma das hipóteses levantadas pela polícia é de uma rixa entre eles. Conforme apurado pelo superintendente Soccol, da delegacia local, os quatro suspeitos são antigos moradores do bairro. "Eles se mudaram daqui e só voltam para cometer assaltos ou matar pessoas", comentou.

De acordo com avaliação preliminar do perito da Polícia Científica, Maurício foi atingido por tiros nas costas, pescoço e peito. No local, não foram encontradas cápsulas da arma usada no crime. "Vamos conversar com a namorada da vítima para colher mais informações sobre o caso", disse Soccol. A ocorrência foi atendida também pelos soldados Galkowski e De Oliveira, do Projeto Povo -Piraquara, da Polícia Militar. "Nenhuma testemunha descreveu os assassinos para que pudéssemos patrulhar a região em busca de suspeitos", lamentou Galkowski.

Assassinos

Para o superintendente da delegacia, as mesmas pessoas que mataram Maurício mataram Tiago Pereira dos Santos, 16, e Edvaldo Marques de Souza, 18, no dia 15 de agosto. Os dois foram baleados enquanto esperavam a vez de cortar o cabelo em um salão de beleza da Avenida Herbert Trape, também no Guarituba. Tiago morreu com o corpo crivado de balas dentro do estabelecimento. Já seu amigo, foi ferido e internado no Hospital do Trabalhador com um disparo na cabeça, morreu no dia seguinte. O crime foi cometido às 13h30.