Começam amanhã os interrogatórios das pessoas denunciadas pelo Ministério Público como integrantes da quadrilha de Almirante Tamandaré. A juíza Luciane Ludovico reservou todo o dia de amanhã e também a sexta-feira para inquirir os acusados, entre eles policiais militares e um civil. Promotores e representantes do Ministério Público, assim como os advogados dos acusados, participarão apenas como ouvintes.

Todos os dezesseis acusados estão presos, como resultado de quatro inquéritos policiais, três deles conduzidos pela delegada Vanessa Alice – designada especialmente para elucidar o rumoroso caso de mortes em série, tráfico de drogas e envolvimento de policiais no crime organizado em Tamandaré, Rio Branco do Sul e Itaperuçu. A denúncia, com 22 páginas e assinada por cinco promotores, foi enviada à juíza na sexta-feira retrasada. Após analisar a denúncia, ela manteve todas as prisões preventivas. Dois policiais militares, acusados de coagir testemunhas e dificultar as investigações dos homicídios nos últimos três anos, tentaram obter habeas corpus no final da semana passada, para responder ao processo em liberdade, mas o Tribunal de Justiça negou o pedido.

Os três inquéritos comandados pela delegada Vanessa tomaram cinco meses de trabalho. Mesmo depois de ter concluído estes trabalhos, ela continua com as investigações. Outros inquéritos, referentes a assassinatos de mulheres, estão em andamento, conforme a delegada revelou à Tribuna na semana passada. Apurando o envolvimento de policiais, tráfico de drogas e armas, a morte de dezoito mulheres e o assassinato de um traficante na região de Tamandaré, a delegada já chegou a pelo menos cinqüenta nomes de pessoas suspeitas.