O delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Adauto Abreu de Oliveira, anunciou ontem alguns nomes que vão compor a cúpula da instituição. Foram nomeados Paulo José Breny, como delegado-geral adjunto; Edson de Faria Pilatti, como corregedor-geral; Sharis Negrão Tonhozi, como diretora da Escola Superior de Polícia; Carlos Alberto Neves, para o cargo de chefe da Divisão de Polícia da Capital; Nabor Lobo Sottomaior, para a Divisão de Investigações Criminais; Nilton Tadeu Rocha, como chefe da Divisão de Polícia Especializada e, ainda, Jurandir André, como delegado-chefe de Londrina.

Ouvidor

Com a proposta de transformar a Ouvidoria das Polícias em um canal aberto de comunicação com a população paranaense, Luiz Bordenowski acaba de assumir a direção da entidade, que abriga três instituições – a Polícia Civil, a Polícia Militar e o Detran. A ouvidoria foi criada em maio de 2000 e atualmente atende uma média de dez a doze processos por dia. Bordenowski diz que a estrutura do órgão é “excelente” e pretende intensificar o contato com a comunidade, fazendo com que o volume de mensagens e telefonemas recebidos aumente consideravelmente.

“A ouvidoria não existe apenas para receber reclamações. As pessoas devem nos procurar, queremos ouvir sugestões da população para implantar melhorias na segurança pública, e também prestar orientação sobre o funcionamento das polícias. Temos um pessoal altamente qualificado para esclarecer todo tipo de dúvida e nenhum contato fica sem resposta”, afirma o novo ouvidor.

Parceria

Entre os planos de Bordenowski está também a intenção de agir em parceria com a Corregedoria da Polícia Civil e com o comando da Polícia Militar. “Seguindo a orientação do governador Requião, vamos transformar a ouvidoria em uma importante ferramenta para a população interagir com as polícias”, comenta.

Outro objetivo é interiorizar o funcionamento e o atendimento da ouvidoria. Segundo Bordenowski, atualmente, Curitiba e Região Metropolitana respondem por 77% dos processos em andamento, enquanto das cidades do interior chegam apenas 23% das mensagens e contatos. “Vamos mudar esse quadro”, afirma.

Para assumir o cargo, para o qual foi indicado diretamente pelo governador Roberto Requião, Luiz Bordenowski está se afastando da presidência do Sinclapol (Sindicato das Classes Policiais do Paraná). O vice-presidente, Wilson Monteiro, passará a responder pela entidade. “Mas continuarei acompanhando as atividades do Sinclapol”, finalizou.

Para entrar em contato com a Ouvidoria das Polícias os telefones são: 0800-41-0090 e 200-1717. O endereço é Rua José Loureiro, 376, centro, no terceiro andar do prédio da Polícia Civil.