Um rastro se sangue foi
deixado pela vítima em fuga.

O chinelo do comerciante Vilson Barbosa, aproximadamente 25 anos, largado a 30 metros do seu corpo, indicava que o homem correu para fugir de seu assassino. Não conseguiu e caiu morto a tiros, em uma das ruelas da área da invasão Icaraí, Uberaba, por volta das 21h30 de quarta-feira. Ninguém soube dar informação à polícia que pudesse ajudar a esclarecer o crime.

Segundo apurado pelos soldados Carlos Lima e Norton, do Regimento de Polícia Montada, RPMont, Vilson mantinha um bar naquela invasão há cerca de um ano.

Seis tiros

O estabelecimento ficava a aproximadamente 200 metros de onde o comerciante foi morto. Conforme levantamento preliminar do perito Victório, da Polícia Científica, seis tiros atingiram a vítima. Pelo menos dois deles quando Vilson já estava caído no chão. Ele foi atingido por três disparos na cabeça, um na perna, um na virilha e outro no peito. “Encontramos estojos de projéteis calibre 38, indicando que a arma pode ter sido um revólver desse calibre”, comentou o perito.

Com a vítima não foram encontrados documentos ou pertences. Os investigadores Vladimir e Polchlopek, da Delegacia de Homicídios, estiveram no local para colher os primeiros dados que irão orientar o trabalho da polícia.