Vítima de roubo provoca
colisão para prender os ladrões.

Após assaltarem uma panificadora, na Rua Carlos Klemtz, Fazendinha, dois marginais foram perseguidos e presos pela vítima. Os ladrões estavam levando cartões telefônicos e R$ 40,00. Pedro Roberto de Jesus, 29 anos, e Júlio César Magalhães, 23, foram encaminhados ao Hospital do Trabalhador (HT), onde foram medicados. Até o final da tarde de ontem, Pedro e Júlio permaneciam internados no HT. Segundo informações, Pedro sofreu fraturas na perna e deverá permanecer mais tempo sob observação. Já Júlio deveria ser liberado nas horas seguintes.

O delegado Sérgio Taborda, titular do 11.º Distrito (CIC), informou que está aguardando policiais militares entregarem os presos na delegacia para lavrar a prisão em flagrante por roubo. “Obtive informações que um deles é foragido da Colônia Penal Agrícola (CPA), em Piraquara. Estou aguardando para levantar os antecedentes dos dois”, salientou o delegado.

Roubo

O dono da panificadora, de 39 anos, que prefere não ser identificado, informou que somente um dos bandidos entrou no local, às 13h de ontem. Pedro se dirigiu ao caixa e pediu um cartão telefônico. O comerciante disse que só tinha cartões de 20 e 40 unidades, momento em que o marginal apontou um revólver e anunciou o roubo. “Estava entrando uma freguesa. Falei para ele levar o dinheiro logo e ir embora. O assaltante pegou tudo e saiu”, ressaltou a vítima.

Assim que o marginal saiu da panificadora, o comerciante chamou a polícia. “Eu fui atrás dele para orientar a polícia para que lado o ladrão tinha fugido??, explicou.

Instintivamente entrou em sua Caravan e, quando viu, estava seguindo a motocicleta Titan, ALQ-4478, pilotada por Júlio. Ao ver a vítima, o assaltante, que estava na garupa, virou e tentou disparar cinco tiros. Por sorte, as balas e o revólver eram velhos e nenhum projétil deflagrou. “Quando vi ele apontando a arma, abaixei e só senti o impacto”, salientou o comerciante, que acabou batendo sua Caravan contra a motocicleta, que colidiu na traseira de um ônibus.

Mesmo assim, o assaltante que estava armado deixou o local. Como quebrou a perna, não conseguiu ir muito longe e foi preso por policiais militares. Os ladrões foram atendidos pelo Siate e levados ao Hospital do Trabalhador.

Cartões

Ao ver os policiais, um dos assaltantes tentou se livrar dos cartões telefônicos, jogando-os na rua. “Muita gente pegou. Só com o conserto do carro vou gastar R$ 1.500,00”, lamentou a vítima.

A panificadora, na Carlos Klemtz, já foi assaltada mais de 15 vezes, em oito anos de funcionamento. “As tentativas de roubo, nem estou contando. Só em novembro foram dois roubos”, lamentou. O comerciante informou que depois de quase ter sido morto pelo bandido, irá fechar seu estabelecimento. “Oito anos de trabalho, para largar por causa de vagabundos. Foi muita sorte nenhum dos cinco tiros me acertar”, comentou.