Consertar aparelhos decodificadores de TVs a cabo dá cadeia. O alerta é do delegado Andrey Cordeiro, do 11.º Distrito (Cidade Industrial). Ele disse que este ano já prendeu dois proprietários de eletrônicas por receptação. “Tem mais pessoas trabalhando com isto. É ilegal e se recebermos denúncia vamos prender”, avisou. Ele explicou que os aparelhos decodificadores são de propriedade exclusiva das TVs a cabo e quando têm qualquer problema devem ser entregues na empresa.

Na terça-feira, policiais do 11.º DP prenderam o comerciante Valdenir Divino Nunes Lima, 34 anos, que foi autuado em flagrante por receptação e estelionato. Depois de receberem uma denúncia de funcionários de uma TV a cabo, os investigadores foram até a loja de Valdenir, situada na Rua XV de Novembro, no Alto da XV. “Além de decodificadores que estavam lá para conserto, ainda apreendemos um que foi adulterado. O assinante pagava o plano básico, no valor de R$ 33,00 e estava usufruindo de todos os canais, o que custaria R$ 300,00 mensais. Isto é estelionato”, afirmou o delegado.

Os funcionários da empresa descobriram a loja de Valdenir porque um assinante devolveu seu aparelho, que estava com uma etiqueta da loja.