Adilson Moreira foi atingido por dois
tiros e caiu morto atrás do balcão.

Provavelmente ao reagir a um assalto, o comerciante Adilson Moreira, 33 anos, foi assassinado com um tiro no peito e outro na mão às 13h30 de ontem, na sua mercearia, no cruzamento das ruas Padre Anchieta e Monte Castelo, Jardim Bela Vista, em Piraquara. Às 16h, foi preso na Vila Macedo, Jair Mecca, 22 anos, em uma operação conjunta entre a policias Civil e Militar. De acordo com informações, Jair seria o autor dos disparos e foi autuado em flagrante pelo delegado Joel Bino de Oliveira.

Adilson estava atrás do balcão quando foi surpreendido por três rapazes, que deram voz de assalto. A polícia acredita que ele teria investido contra os bandidos já que levou um tiro na mão direita e outro no peito e tombou morto atrás do balcão. Os bandidos fugiram a pé e no local não foi apurado o que eles levaram.

A mulher de Adilson, Rosana Aparecida Ferreira Moreira disse que seu marido tinha um revólver calibre 38, para sua proteção. A arma ficava escondida próximo ao caixa e não foi encontrada pela polícia. “Talvez os marginais tenham levado a arma. Não sabemos o que realmente aconteceu. Não houve testemunhas. Os moradores só ouviram os disparos e os bandidos correndo”, informou o superintendente Edson Costa, da delegacia de Piraquara.

Rosana, que era casada há 15 anos com Adilson e tem três filhos, estava inconformada com o assassinato do marido. “Ele era um trabalhador. Chegava a dormir por aqui para que não fôssemos roubados. Há pouco tempo arrombaram a mercearia e levaram 900 reais. Há seis anos que nós tínhamos o comércio, mas os ladrões tomaram conta do bairro”, comentou a mulher.

O delegado Joel Bino de Oliveira revelou que irá apresentar o autor à imprensa às 10h de hoje. “Nossos policiais estão nas ruas tentando prender os outros dois marginais. Por enquanto prefiro não passar mais informações”, declarou o delegado.