O assaltante (à esquerda)
matou o comerciante (à direita)
a tiros e acabou sendo linchado
pela população revoltada.

Cansado de ser assaltado, o comerciante Andiaro Portes, 43 anos, resolveu reagir ao ataque de dois ladrões, às 19h20 de sábado, na Rua Nova Esperança, Sítio Cercado. Houve troca de tiros. O comerciante morreu no local e seus dois fihos ficaram feridos. Um dos assaltantes foi baleado pela vítima, em frente ao Açougue Muki, na esquina com a Rua Arapongas. Mesmo ferido, o acusado, identificado como Valdecir Vieira Lopes, 19, foi agredido por populares e também morreu no local. A polícia acredita que o nome usado por ele seja falso.

Esta seria a quarta vez que o Açougue Muki sofria assalto em menos de 10 dias. Testemunhas contaram à Polícia Militar que os bandidos chegaram em uma motocicleta. Um deles, provavelmente Valdecir, entrou no estabelecimento, enquanto o outro rodava a quadra com o veículo. Outros moradores, porém, afirmaram ter visto três pessoas envolvidas no crime, o terceiro indivíduo teria ficado na porta do açougue, dando cobertura ao comparsa.

Tiroteio

Andiaro reagiu ao assalto e atirou contra os ladrões, que revidaram. O homem foi atingido por uma bala no peito e caiu em frente ao açougue. Valdecir também foi baleado e caiu na calçada. Em seguida, populares revoltados e também cansados de ver estabelecimentos serem assaltados na região, passaram a agredir o ferido, que não resistiu. As balas ainda atingiram os filhos de Andiaro, que também estavam no açougue. Alisson, 19, e Alex, 21, foram baleados no queixo e na mão, respectivamente. Os dois foram atendidos pelo Siate e encaminhados ao Hospital do Trabalhador.

A PM procurou em vão o comparsa do assaltante morto, realizando patrulhamento na região. O caso foi atendido pela Delegacia de Homicídios que o encaminhou à de Furtos e Roubos, para onde foram levadas as armas usadas no confronto.