O companheiro da modelo fisiculturista Renata Muggiati, 32 anos, prestou depoimento na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga a morte da moça, na tarde dessa quarta-feira (16).

Segundo o advogado Arlindo Fernandes Junior, que representa o médico que namorava Renata, o esclarecimento foi espontâneo. No entanto, a DHPP informou que está sendo apurado se houve envolvimento dele.

O advogado disse que o médico está colaborando com as investigações com fotos e testemunhas para provar que o casal tinha um bom relacionamento e que não houve agressões por parte do companheiro.

Ele negou a hipótese de um crime e afirmou que, na madrugada de sábado, Renata se jogou do prédio no bairro Batel. “Não existe omissão de socorro, homicídio, negligência ou prescrição de medicamento errôneo. Não tem nada a ser apurado”, comentou Arlindo.

Ele disse ainda que existe a possibilidade do médico dar uma entrevista coletiva à imprensa, devido à quantidade de informações divulgadas sobre o caso. O advogado atribuiu a atenção dada à morte de Renata ao fato do rapaz ser “um médico em ascensão”.

Investigações

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que existem relatos de que o relacionamento de Renata com o médico era conturbado e que ela chegou a entrar em contato com um advogado pedindo ajuda.

A polícia pediu novos exames nesta semana para saber que medicamentos e produtos eram usados pela fisiculturista. Conforme a nota, a Delegacia de Repressão à Saúde (Decrisa) está auxiliando a DHPP na análise das medicações usadas por Renata.

“A polícia não descarta que as ações do companheiro possam ser enquadradas criminalmente, após análises do conjuntos de informações colhidas no inquérito policial”.

Paraná Online no Facebook