Os dois adolescentes assassinados e outro baleado, na noite de domingo e na madrugada de segunda-feira, em Curitiba, faziam parte de uma quadrilha de veio de Santa Catarina para cometer crimes na capital paranaense.

A Delegacia de Homicídios (DH), que investiga os casos, apurou que os dois jovens teriam sido mortos por causa de uma rixa com integrantes do bando. “Além dos três baleados, dois jovens faziam parte da quadrilha e estão foragidos”, contou a delegada Daniele de Oliveira Serighelli.

Conforme explicado pela delegada, os cinco estavam no Celta placa MCH-1538, de Camboriú (SC), com alerta de furto, quando, por volta das 21h10 de domingo, teriam se desentendido.

Dois dos adolescentes foram baleados na Rua Carlos de Laet esquina com a Pastor Antônio Polito, no Boqueirão. Um deles foi ferido com um tiro na cabeça e morreu no local. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML), onde aguarda identificação.

O outro, que tem 15 anos, foi ferido com um tiro na boca e está internado no Hospital Cajuru. Segundo informações da assessoria de imprensa do hospital, o jovem está consciente e não corre risco de morrer. A polícia prefere manter o nome dele em sigilo por se tratar de testemunha do crime.

Ferido

Na madrugada seguinte, Luiz, 14, foi atingido com um tiro no peito e morreu no Hospital Cajuru, depois de ser socorrido pelo Siate na esquina da Avenida Sete de Setembro com a Rua Alferes Poli. A vítima morava em Camboriú.

Por volta de 2h20, o Celta bateu em um Corsa, na esquina da Avenida Visconde de Guarapuava com a Rua Desembargador Westphalen. Depois da colisão, Luiz e outros dois comparsas fugiram a pé com armas em punho.

Testemunhas disseram que um policial civil os teria cercado. Houve troca de tiros e o adolescente foi ferido. “A própria família da vítima disse que não foi o policial quem atirou. Que ele apenas deu apoio à situação”, contou.