Por sete votos a zero, João Carlos de Souza, 35 anos, foi condenado a 3 anos e 3 meses de prisão em regime aberto, por ter matado o próprio irmão, Lauro de Jesus de Souza. O julgamento foi realizado ontem no Tribunal do Júri de Almirante Tamandaré. O crime aconteceu no dia 30 de abril de 1994, em frente a um bar no Jardim Silvana e a vítima foi morta com 17 facadas. O julgamento teve início às 9h de ontem. O júri popular foi presidido pela juíza Josiane Ferreira Machado de Lima.

A defesa do réu esteve a cargo do advogado Matheus Gabriel Rodrigues de Almeida, que embora tenha aventado a possibilidade de defender a tese de negativa de autoria, optou por pedir a condenação do réu por homicídio privilegiado, alegando que João Carlos agiu sob violenta emoção, uma vez que a vítima havia tentado matar o réu anteriormente.