Não bastasse o desconsolo dos funcionários das casas de bingo de Curitiba, obrigados a procurar outro emprego depois da determinação do governo de fechar os estabelecimentos, a Promotoria de Investigação Criminal (PIC) descobriu que alguns deles estavam sendo extorquidos. Na tarde de ontem, o contador do Ventura Bingo foi flagrado por uma equipe do Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gerco) pegando os envelopes com o dinheiro da rescisão contratual dos demitidos.

De acordo com denúncia feita à PIC, o contador César Betazzi Medina dizia aos funcionários demitidos que, caso não entregassem o dinheiro, teriam dificuldades em conseguir outro emprego e ficariam com o nome “sujo”, mesmo se os bingos fossem reabertos. Diante da ameaça, alguns entregavam os envelopes que tinham acabado de pegar no sindicato. Conforme informado pela PIC, o valor era de R$ 220,00 de cada funcionário. A ação foi filmada pela equipe do Gerco.

Investigação

O número de pessoas lesadas ainda não é conhecido. Os policiais filmaram as pessoas saindo do prédio do sindicado e sendo abordadas pelo contador. No momento em que uma funcionária entregava o envelope foi dada a voz de prisão a César.

Ainda segundo a PIC, há suspeitas que ele estivesse extorquindo os desempregados a mando do proprietário do Ventura Bingo, Gianfranco Zambon. A reportagem tentou entrar em contado com o presidente do Sindibingo e o proprietário do Ventura, mas não obteve retorno. Tampouco o vice-presidente do Sindibingo retornou as ligações.