A Coordenação Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança (Ceconseg) do Paraná promoveu nesta segunda-feira (17) um encontro no quartel do Comando-Geral da Polícia Militar, em Curitiba, para apresentar sugestões de apoio para que a comunidade possa contribuir com ações de prevenção ao uso de drogas.

“A intenção da Ceconseg é intermediar essas ações e demandas dos Conselhos Comunitários. Assim, estamos dando o pontapé inicial para que os conselhos disseminem ações para prevenir o uso de drogas”, afirmou a coordenadora estadual dos Consegs, Michelle Lourenço Cabral. De acordo com ela, a intenção da Ceconseg é promover, a partir de agora, reuniões temáticas os com representantes dos Conselhos Comunitários.

Durante a reunião desta semana, os representantes dos Consegs da capital, Região Metropolitana de Curitiba e litoral conheceram trabalhos e projetos que estão sendo desenvolvidos por diferentes órgãos, além da proposição de políticas públicas referentes ao assunto.

Dessa forma, foi apresentada a estrutura do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), desenvolvido no Paraná, além do trabalho do Batalhão de Polícia Escolar Comunitária (BPEC), do Centro Antitóxicos de Prevenção e Educação (Cape) da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), da Coordenação e do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas, da Rede Cristã de Agentes em Proteção e Prevenção às Drogas (Reage) e da Diretoria Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas de Curitiba.

Todos partiram de um mesmo ponto: que a troca de informações e a união de esforços são imprescindíveis para alcançar resultados satisfatórios. “É importante que haja engajamento de todos, porque a comunidade unida consegue fazer a diferença. Assim, podemos trabalhar junto aos Consegs para a efetiva ação dentro dos bairros, proporcional ao que cada especificidade exige”, afirma o diretor de Polícia Comunitária e Direitos Humanos da Polícia Militar, tenente-coronel Heraldo Regis Bório da Silva.

Jônatas Davis de Paula, professor de Políticas Públicas do Instituto Federal do Paraná (IFPR) e secretário executivo do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas, destacou a importância da parceria com os Consegs, pelo alcance amplo das organizações da comunidade, e pela necessidade de se ampliar a participação popular.

“Temos essa intenção de aproximação com os Consegs, para promover sensibilização e capacitação e, dessa forma, para que possamos disseminar as políticas públicas referentes ao combate às drogas, não apenas ações”, analisa.

Ações com crianças e adolescentes

Com a necessidade cada vez mais urgente de informações para crianças e adolescentes sobre o tema, a Secretaria da Segurança Pública conta com ações preventivas desenvolvidas pelas polícias Militar e Civil, em parceria com colégios do Paraná.

Exemplo disso é o Batalhão de Polícia Escolar Comunitária (BPEC), da PM, que verifica de perto a realidade dos jovens nas escolas. “Depois de atos de incivilidade, ocorrências relativas ao uso de drogas é o que mais aparece em colégios”, conta o tenente Edilberto Mazon Filho, do BPEC.

Por meio do Proerd, a PM está inserida na comunidade escolar, trabalhando principalmente contra drogas e contra a violência. Além de mudanças imediatas no comportamento dos alunos, relatadas pelos policiais, o Proerd trabalha com a filosofia de mudança de uma cultura, para atingir resultados a médio e longo prazo.

“Os policiais que trabalham no projeto são voluntários e passam por capacitação específica, com formação em Educa&c,cedil;ão Social”, explica o sargento da PM Marcos Roberto de Oliveira, que integra o Proerd no Paraná.

O sargento também mostrou aos conselheiros comunitários de segurança outro projeto do qual ele faz parte. Para tornar o assunto mais interessante e atraente ao público, a PM montou uma banda de pop rock que faz uma espécie de “palestra musical” nas escolas, também com policiais voluntários, e que integra os trabalhos do Proerd. É a “Pop Prevenção”.

Já a coordenadora do Cape/Denarc, a policial civil Maria Cristina Venâncio, falou sobre as palestras educativas que leva a escolas de todo o Paraná, desde que as instituições já desenvolvam um projeto permanente de educação sobre os riscos do uso de drogas. A Cape/Denarc distribui, gratuitamente, cartilhas específicas para os diferentes tipos de público (crianças, adolescentes, professores e pais).

“Também damos encaminhamento a quem, voluntariamente, procura a Denarc. E mantemos, desde 1994, o Museu da Droga, em Curitiba, com objetos já apreendidos pela Denarc, amostra de drogas e visitas monitoradas para grupos de colégios”, apresenta Maria Cristina.

O professor Luiz Balan, representante da Secretaria Estadual de Educação e do Comitê Intersecretarial de Saúde Mental, também fez uma exposição sobre o tema, nesta noite de segunda-feira (17).

O encontro também teve a participação de Carlos Peixoto (representante da Coordenação Estadual de Políticas sobre Drogas) e de Diogo Busse, representante do Poder Executivo Municipal.