Alberto Melnechuky
Garota foi pega com 220 pedras da droga e Luiz Carlos, com 145 gramas.

Apontada como forte traficante do centro de Curitiba, Gabriele Alves Dias Diniz, 20 anos, foi presa na noite de segunda-feira por guardas municipais. Com ela foram apreendidas 220 pedras de crack. Pouco depois, o presidiário Luiz Carlos dos Santos, 26, suspeito de fornecer a droga, foi preso no Jardim Guaraituba, em Colombo. Na casa dele a polícia ainda encontrou uma pedra de crack, pesando 145 gramas, um revólver calibre 38, talonários de cheques, seis celulares, duas frentes de toca-CDs e uma balança de precisão.

Os guardas municipais Rangel e Everson, que patrulhavam o centro, flagraram um homem entregando a droga para Gabriele e saindo em um Gol prata. Ao abordá-la acharam o crack. Gabriele foi encaminhada ao 1.º Distrito Policial (centro), onde foi autuada em flagrante por tráfico de drogas pelo delegado Rinaldo Ivanik.

Piraquara

Rangel disse que como estavam a pé, eles não poderiam perseguir o Gol. Porém, as características do veículo foram passadas a policiais militares, que patrulhavam de motocicleta. Os PMs encontraram os dois suspeitos, que não portavam drogas, mas contaram que um homem, chamado Welligton, que morava na Rua Siqueira Campos, Jardim Guaraituba, em Piraquara, tinha pedido para que eles fizessem a entrega para Gabriele.

Os PMs foram até a residência. Luiz Carlos se identificou como sendo Welligton Monteiro da Penha, 23 anos. Na delegacia ele contou seu nome verdadeiro e alegou que mentiu para os militares porque é foragido da Colônia Penal Agrícola (CPA), onde cumpria pena por tráfico de drogas.